Petlyakov TB-7 Zvezda 1/72

Esgotado

Petlyakov TB-7 Zvezda 1/72
R$328,59
3x de R$109,53 sem juros
Ver detalhes das parcelas

Sobre o Petlyakov TB-7/Pe-8

Desenhado como substituto do obsoleto Tupolev TB-3, a Tupolev OKB foi ordenada a fazer uma aeronave quadrimotora que pudesse carregar 2t de bombas a 4500km, voando com teto de 10000m e com velocidade de 440km/h. Envisando uma aeronave revestida quase totalmente de duralimínio, dotada de 4 motores Mikulin AM-34FRN e uma unidade supercharger na fuselagem central dotada de um Klimov M-100 para pressurizar o ar para os motores em grandes altitudes; armada com canhões de 20mm de autodefesa(!!), metralhadoras leves (e pesadas) e tripulada por 11 pessoas. Fazendo o vôo inaugural em 1936 e sendo sucessivamente aperfeiçoado, o TB-7 encontraria quatro problemas sérios na sua carreira: o expurgos de 1937, o conceito tático da VVS, problemas de suprimentos de peças e a Luftwaffe.

Mesmo com todos esses problemas, o TB-7/Pe-8 entrou na guerra como uma arma formidável: uma torre com dois canhões ShVAK de 20mm no nariz, duas gôndolas com metralhadoras Berezina UBT .50 atrás das naceles dos motores internos, uma posição com mais um canhão no dorso e outro na traseira e uma gôndola com duas metralhadoras ShKAS 7,62mm no queixo tornavam a tarefa de derrubar um desses Petlyakovs das mais ingratas. Com a capacidade de carregar a FAB-5000 de 5t, versões posteriores motorizadas com os M-82 e sem a torre do nariz e nem as gôndolas nas naceles conseguiam manter o alcance das versões com motores diesel, mas sem o problema de confiabilidade das mesmas.

Usados durante toda a guerra, aproximadamente 100 desses aviões foram fabricados e participaram de importantes reides contra posições estratégicas alemãs e participaram dos primeiros bombardeios da VVS a Berlin, partindo de Saaremaa, na Estônia e atravessando o Báltico ainda em 1941. Além disso, eles voaram contra alvos alemães em Orsha, Pskov, Tallin, Orel, Königsberg, Kursk, Poltava... A partir de 1943, foram usadas bombas de 5t nos aviões, que voariam até 1945 em missões de combate e, depois, em operações de longo alcance inclusive no Ártico e para transporte de autoridades. Com a saída dos Pe-8 de cena, apenas a chegada dos Tu-4 iria retomar a idéia de aviação estratégica soviética já em plena Guerra Fria.

Sobre o item ZV7291

  • Versão com gôndolas para armas mas sem torreta no nariz para armas de 20mm;
  • Traz 2 tripulantes;
  • Decalques para um avião; e
  • Vem com bomba FAB-5000.